Meios de protecção à radiação


RADIAÇÃO X

O que é a radiação ionizante?
Radiação ionizante é a radiação formada quando um átomo é exposto a energia suficiente para retirar electrões da sua órbita ficando electricamente carregado ou ionizado.

Meios que usam raio X?
Tomografia Computurizada (TAC), Raio-X Convencional, Mamografia, Densitometria, Ortopantomografia, Angiografia e Fluoroscopia.

Quais os danos causados?
Quando a radiação ionizante incide sobre as células, a sua estrutura química pode ser danificada provocando danos nas células e alterações do material genético. Assim, os efeitos biológicos da radiação ionizante podem ser divididos em duas categorias: os efeitos determinísticos e os estocásticos.
Os determinísticos referem-se a danos na pele, normalmente graves e danos crónicos do cristalino. Para estes efeitos existe um limiar de dose a partir do qual estes danos ocorrem.
Os estocásticos englobam os efeitos hereditários e transformação maligna das células, e podem levar ao desenvolvimento de cancro. Para estes efeitos não é considerado um limiar de dose, por isso, a probabilidade de indução é reduzida pela utilização de valores de dose tão baixos quanto possível - equipamentos de última geração e de meios de protecção adequados.

As radiações x (Raios - x), são conhecidas por provocarem efeitos adversos no organismo humano, nomeadamente alterações ultraestruturais nas células. Estas alterações podem ocorrer tanto no indivíduo que recebe a radiação, como nos seus descendentes. As radiações recebidas são cumulativas, ou seja, cada dose a que nos expomos é somada às demais doses recebidas no futuro. Todo o paciente pode ser radiografado. Deve evitar-se o uso de radiação nos primeiros 3 meses de gravidez.

O que deve exigir:
Equipamento de última geração em que a dose de radiações é francamente menor - factor mais importante - meios de proteção, sempre que seja submetido a estudos com radiação; particular atenção às glândulas mamárias em jovens (risco de indução do cancro da mama), tiróide e globos oculares, quando estas regiões são abrangidas no estudo. Há situações em que não é possível a utilização de meios adicionais de proteção, por haver prejuízo do exame, por este motivo, o factor mais importante a ter em conta, é a utilização de equipamentos de última geração.


MEIOS DE PROTECÇÃO
ECRÃ DE PROTECÇÃO PARA A TIRÓIDE
Este tipo de ecrã é aplicado na região tiroideia durante os exames de pescoço e/ou coluna cervical e permite uma redução de 60% da dose aplicada ao tecido tiroideu, que é bastante rádio-sensível.
ECRÃ DE PROTECÇÃO OCULAR
O cristalino e os restantes componentes oculares são muito sensíveis à radiação, particularmente durante o TAC de crânio. O ecrã de protecção permite uma redução de 50% na dose de radiação aplicada ao globo ocular, sem prejudicar a qualidade de imagem.
ECRÃ DE PROTECÇÃO PARA CRIANÇAS
Os estudos indicam que as crianças e os jovens são 10% mais sensíveis aos efeitos de carcinogése dependentes da radiação, em relação aos adultos. O ecrã de protecção que utilizamos permite uma redução de cerca de 57% na dose de radiação aplicada.
ECRÃ DE PROTECÇÃO MAMÁRIA
Atualmente os estudos de TAC têm um papel fundamental no diagnóstico e seguimento de doentes com patologia torácica e cardio-pulmonar. Do aumento da utilização de estudos de TAC, resulta um risco teórico de aumento dos efeitos carcinógenos da radiação, nomeadamente sobre o tecido mamário. Este ecrã de protecção que utilizamos acarreta uma diminuição na exposição à radiação de 57%, durante estes estudos.

PARTILHA

MORADA

Rua Rosália de Castro 4900-424 Viana do Castelo